O Xadrez e a Música

quarta-feira, dezembro 31, 2008

Uma entrevista há 18 anos...

Um registo jornalístico do percurso de um "homem que nos dá cabo da cabeça"...
Entrevista dada por Mestre Rui Nascimento ao Correio da Manhã, jornal em que foi responsável durante 10 anos pela secção de "Problemas de Xadrez", desde o nº 1 do mesmo jornal.
Esta entrevista foi efectuada no dia em que cessou a sua colaboração xadrezística no CM, em 31 de Dezembro de 1990, faz hoje 18 anos.




"O Problema é a Poesia do Xadrez."


sábado, setembro 27, 2008

PARA QUÊ?
(Poema de 1935)

O mais antigo poema no arquivo poético de meu Pai, escrito aos 20 anos.



Para quê importar-se
com o que vai pelo mundo?
Para quê?
A Vida é um abismo maior que o mar profundo,
mas ninguém vê.
No seu limite extremo, a igualdade – a Morte,
desfazendo o egoísmo, a desgraça e a sorte.


Rui Nascimento
Setúbal, 2-3-1935


sábado, agosto 16, 2008

Assim se toca aos 94 anos e 1 mês...

Meu Pai dando umas arcadas no violino, alguns dias antes da queda que sofreu na rua, em fins de Julho, após um embate de um carro em marcha atrás, o qual abandonou o idoso no meio do chão, tendo sido socorrido por muitos transeuntes, a quem agradeço. Teve fractura de um osso da bacia, está a recuperar lentamente, e até já voltou a pegar no violino, apesar de ainda coxo da perna esquerda!

Na imagem vê-se a amiga Teresa David,
que nesta tarde de meados de Julho nos tinha visitado.

sábado, junho 14, 2008

94º ANIVERSÁRIO DO MESTRE

No dia 14 de Junho, em que completa 94 anos, meu Pai lê o seu poema "Mostraste as Ligas ao Santo", diz de cór "as Serras de Portugal" e "as Estações da Linha do Norte". Estava um pouco esquecido dos "Imperadores de Roma", pelo que tivemos de "adiar" esses para outras calendas!


Quando era "ainda mais jovem" sabia de cór toda "A Ceia dos Cardeais" e os 256 Concelhos de Portugal em 1940, data em que entrou para os CTT, onde trabalhou durante 3 anos, antes de se tornar bancário.


Apesar de a Poesia ser apenas o seu 3º hobby, sendo o 1º o Problema de Xadrez, o 2º o Violino e o 4º a Matemática, creio ter ele feito ao longo da vida mais de 100 poemas, alguns já publicados neste blogue.


Actualmente recita ainda inúmeros poemas de cór, seus ou de outros Autores, canta velhas cançonetas, tangos, etc... e claro, continua a pegar no seu querido violino!
Vamos então dar início ao recital...

video

"Mostraste as Ligas ao Santo!"

(ver Post anterior)


video

As Serras de Portugal - o ensaio... saiu Machico em vez de Monchique...


video

De novo as Serras... agora, sim!!!


video

As Estações da antiga Linha do Norte


video

FINALMENTE, OS PARABÉNS!


video

Para terminar, os "Cunhados Afinados"!


Muitos Parabéns, Pai e que ainda nos acompanhes assim por muitos anos!

quinta-feira, junho 12, 2008

Mostraste as Ligas ao Santo!




*** MOTE ***

Mostraste as ligas ao Santo
porque querias casar;
e o brejeiro espreitou tanto
que até caiu do altar!

*** GLOSAS ***

O Santinho da capela
tentando, com teu encanto,
puseste as pernas à vela
e vi que, sem mais aquela,
mostraste as ligas ao Santo.

Outrora do Amor rias,
hoje andas a suspirar
com olheiras doentias;
e um milagre já pedias,
porque querias casar.

Mas de inveja concentrada
eis quase estoiro em meu canto,
porque da “vista” almejada
não lobriguei quase nada
e o brejeiro espreitou tanto.

Porém o Santo infeliz
teve castigo exemplar,
o maroto tanto quis,
tanto estendeu o nariz,
que até caiu do altar!

Rui Nascimento
Abril 1957

NESTE OUTRO POST, TAMBÉM PODEM CONHECER UMA MARCHA POPULAR COMPOSTA POR MEU PAI EM 1967



Lá Vai Lisboa - Teresa Salgueiro & Lusitânia Ensemble

sexta-feira, maio 16, 2008

POR BECOS, RUAS E VIELAS...



( Imagens dos álbuns de recortes do meu pai )


Rua de Lisboa

Teresa Salgueiro e Lusitânia Ensemble


quinta-feira, março 27, 2008

O FILTRO D´AMÔR



Caros Amigos e Amigas

Hoje, Dia Mundial do Teatro, ponho à disposição na Internet, mais como curiosidade do que como obra teatral, a comédia musicada "Filtro d´Amôr", escrita por meu Pai em 1941 e que já foi publicada em fascículos n´ "O Quintal do meu Pai", o ano passado.
Esta peça, apesar de ter ganho o 1º prémio de Teatro nos Jogos Florais da Primavera de 1941, em Setúbal, nunca foi representada, tendo sido apenas lida em voz alta pelo Autor no antigo Teatro Luísa Todi (hoje Forum), perante o empresário do mesmo à época. Este não levou a peça ao palco, por receio que não atraísse muito público e também por ser musicada, o que implicava alguns elementos do elenco terem de cantar e/ou tocar…

Dado o muito mau estado do original, dactilografado e do qual podem ver as cinco primeiras páginas, foi-me necessário reescrevê-lo de raiz no Word. Também utilizei a Ortografia actual, nomeadamente retirando bastantes acentos circunflexos, pois nesse tempo até AMÔR o levava... bons tempos!!! Já não há AMÔR como o de antigamente... e muito menos filtros que o estimulem !... Então, se quiserem dar uma vista de olhos, cliquem em


O FILTRO D´AMÔR

Infelizmente no PDF perderam-se alguns caracteres e formatos de letra usados no DOC.




"Joujou e Balangandans"
Lamartine Babo, 1939
(Canção Brasileira contemporânea da peça)



ENTÃO, BOA NOITE DE TEATRO!



E caso detectem alguma gralha, agradeço que deixem nota nos comentários.