O Xadrez e a Música

sábado, junho 23, 2007

LISBOA EM FESTA...
HÁ 40 ANOS

Amigos:

Tendo-me sido completamente impossível pelo Santo António e apesar de já estarmos no São João, publico hoje esta Obra de meu Pai - uma Marcha concorrente à Grande Marcha de Lisboa de 1967, e que foi preterida por o Autor não ser da “cor” dos dirigentes da época…











LISBOA EM FESTA

Obra concorrente
à Grande Marcha de Lisboa 1967

Pseudónimo “Hilário”


Vem ver a Marcha toda a Cidade
e os bairros passam cantando à porfia.
Grita “presente!”, ó mocidade
e vem cantar e vem bailar, vem p´rà folia!
Enlaça flores,
fala d´Amores,
que nesta Marcha traz Lisboa o coração…
A subir p´rà Lua,
se um balão fluctua,
reza com ternura esta oração:

Ó meu balão voa, voa,
sobe à toa,
e às estrelas multicores,
Luz divina a arder nos Céus,
leva um beijo de Lisboa
e pede p´ra seus amores
a benção da Mãe de Deus!

Ergam os arcos, soltem balões,
e siga a Marcha, que a noite está bela;
olhem no alto: cintilações…
será acaso o meu balão, será uma estrela ?!
E os namorados,
muito abraçados,
ai, trocam juras e suspiros d´emoção…
numa curta prece,
Lisboa adormece,
e ao longe ainda há ecos da canção:

Ó meu balão voa, voa,
sobe à toa,
e às estrelas multicores,
Luz divina a arder nos Céus,
leva um beijo de Lisboa
e pede p´ra seus amores
a benção da Mãe de Deus!

***

Letra: Rui Nascimento

Música:
Melodia: Rui Nascimento;
Harmonização: Maestro Idalino Cabecinha

O número 82 que se vê, a vermelho, na partitura, ao alto à direita, foi atribuído pelo Júri que recebia as obras concorrentes, o que dá ideia do elevado número das mesmas.
Uma alta patente militar, cujo nome não recordo, era o Presidente da C.M.L. e do Júri do Concurso.
Provavelmente, esta Marcha teria tido probabilidades de ter ganho o Concurso das Marchas nesse ano, pois o sobrescrito com a identidade do vencedor só podia ser aberto depois de atribuído o Prémio. Ora quando tudo me foi devolvido, o sobrescrito - com o pseudónimo e a minha identificação - estava aberto!
Torna-se evidente, que foi aberto porque a Marcha despertou algum interesse… mas foi preterida, pois quem abriu o sobrescrito viu que eu não era da cor do regime da época. Invoquei o Regulamento da Marcha de Lisboa, que apenas permitia a abertura do sobrescrito da obra vencedora e alguém me avisou “Tem cuidado, senão ainda te põem a PIDE à perna…” * R.N.

5 comentários:

sonhadora disse...

Tenho passado por aqui em silêncio. Pouco a pouco, fui tomando conhecimento do pai maravilhoso que tens.Tantos interesses! Que vida tão bonita e tão cheia! Mas, Amiga L,permite-me que te diga, o teu pai deixa-te um legado afectivo incomensurável.
ÉS LINDA!
Mil beijinhos embrulhados na seda mais fina que é possível tecer. O teu coração merece-o. Esses e muitos mais!

p.s- Há 40 anos era assim! Espero que esse tempo não volte mais!

ASPÁSIA disse...

SONHADORA

SÓ HOJE VEJO ESTAS TUAS PALAVRAS Q ME TOCAM O CORAÇÃO, VOU TRANSMITI-LAS AO PAI...
QDO TE ENVIEI HA POUCO UM MAIL AINDA NÃO TINHA VINDO AQUI...

MEU PAI DEIXA-ME UM GRANDE LEGADO - FOI ELE Q M PERMITIU SER A PESSOA QUE SOU...
APENAS NO XADREZ NÃO O CONSEGUI SEGUIR, MAS NA MÚSICA, NA POESIA , NA CIÊNCIA E CULTURA EM GERAL, TENHO FEITO POR ISSO...

BEIJINHOS E ATE BREVE NOUTRO ESPAÇO POR AÍ... :))

contarelos disse...

Amigo Rui,
Vá ao meu blogue fresquinho e faça dele o que quiser. Aceite os desafios!
Um abraço!
Luísa

Jorge P.G disse...

TENHO-ME DELICIADO ESTA MANHÃ!

PRIMEIRO, EMO POEMA DO SANTO E DAS LIGAS, DEPOIS, OS NOMES DAS SERRAS, DAS ESTAÇÕES DE COMBÓIO; A MARCHA COMPOSTA COM UMA LETRA DECERTO INIGUALÁVEL À ÉPOCA...

UMA PANÓPLIA DE MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS DE QUEM SÓ PODE SER UMA GRANDE CABEÇA E UMA GRANDE PESSOA.

ESTOU EXTASIADO E COMOVIDO!
VÊ-LO, OUVI-LO, LÚCIDO E ALEGRE, ESPERTÍSSIMO DE RACIOCÍNIO, COM INVEJÁVEL MEMÓRIA E A LER SEM ÓCULOS (TEM LENTES?)... TUDO ME FAZ CRER QUE O AMIGO RUI É UM GRANDE EXEMPLO DA CULTURA DO PAÍS NOS ANOS EM QUE O SER CONTAVA MAIS DO QUE O TER.

ESTA É A MAIS SINGELA HOMENAGEM QUE LHE PODE FAZER UM ADMIRADOR QUE INFELIZMENTE SÓ AGORA O CONHECEU, EMBORA AINDA A TEMPO DE O VER E OUVIR COM SAÚDE.

UM GRANDE, GRANDE, GRANDE ABRAÇO.
Jorge P.Guedes

Jorge P.G disse...

FALTOU-ME REFERIR O FAZER AINDA SOAR O VIOLINO E ESSE LINDO POEMA ACRÓSTICO DEDICADO À EXma SRª D. MARIA LUÍSA.
M
A
R
I
_
A

L
U
I
_
S
A

A
_
M
O
R